#13 - 4 coisas que você precisa saber sobre terapia


Não vamos tratar do que faz as pessoas procurarem uma terapia ou sinais que você deve observar no seu dia a dia para pensar no assunto, mas sim do que se trata um processo terapêutico em geral.


1. Existem diversos tipos de terapias


A palavra Terapia vem do grego “prestar cuidado médico” e atualmente são muitos os profissionais que prestam serviços de cuidado à saúde mental.


Podemos dizer que a ida ao psiquiatra e uso de medicações é um tipo de terapia (terapia medicamentosa), ir ao psicólogo, ao psicanalista, ao terapeuta ocupacional, ao acupunturista, ao musicoterapeuta, ao yogaterapeuta, ir ao homeopata são modalidades terapêuticas.


2. Você não precisa esperar que a situação fique insuportável para buscar um terapeuta


As terapias ainda são de certa forma estigmatizadas. Procurar uma terapia ainda não corresponde do ponto de vista da naturalidade e aceitação, a procurar um esporte quando estamos sentindo necessidades físicas de exercício, ou melhorar a alimentação quando percebemos o ganho de peso, quando na verdade deveria. É muito comum que as pessoas procurem cuidados em saúde mental quando a situação esta critica, isso por vezes aumenta tempo, intensidade e a complexidade do tratamento. Mas não se assuste, é só se cuidar!


3. Alem do tipo de terapia, você precisa considerar também sua disponibilidade, o perfil da terapeuta e sua resposta ao processo


Devido à variedade de modalidades terapêuticas é impossível fazer aqui a distinção entre todas elas, o que importa saber é que para além do tipo de tratamento escolhido (através da fala, da expressão artística, da atividade, de medicamentos, etc.), você deverá considerar outros fatores importantes; O momento escolhido para terapia, sua implicação ao tratamento, sua disponibilidade, o “sentimento” em relação ao terapeuta escolhido, entre outros. Com algum tempo é possível perceber sua resposta pessoal ao método terapêutico escolhido.


O que se busca na terapia (principalmente as não medicamentosas) não são respostas prontas aos conflitos, mas a consciência de si, a construção de recursos para aceitar e/ou transformar aquilo que nos incomoda e a até mesmo possibilidade de dar forma a um potencial desconhecido.


4. O processo terapeutico nem sempre é facil


Quando alguém procura uma terapia está sinalizando uma necessidade ou um desejo pessoal de cuidado, portanto, somos nós e nosso terapeuta, com os recursos disponíveis procurando caminhos de evolução pessoal, profissional, melhoria das relações em geral, alívio de sintomas e enfrentamento efetivos de conflitos, cuidando e melhorando a qualidade de vida.


Quando você procura uma terapia, em geral, entra em contato com suas falhas e com seus potenciais. A responsabilidade e o movimento por mudança são pessoais e intransferíveis.


“O principal objetivo da terapia psicológica, não é transportar o paciente para um impossível estado de felicidade, mas sim ajudá-lo a adquirir firmeza e paciência diante do sofrimento. A vida acontece num equilíbrio entre a alegria e a dor. Quem não se arrisca para além da realidade jamais encontrará a verdade”

Carl Gustav Jung